15/01/2018

5 Motivos para ler Tartarugas até lá Embaixo


Oi gente, tudo bem com vocês?

No finalzinho do ano passado, eu li o livro novo do John Green, Tartarugas até lá Embaixo, e foi uma das minhas melhores leituras do ano, talvez até da vida.

Eu postei a resenha dele no Instagram, mas separei aqui 5 motivos pelos quais vocês não podem deixar de ler esse livro.

Antes de tudo, eu vou deixar aqui a sinopse dele, pra quem não faz ideia do que se trata:
"Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, autor do inesquecível A culpa é das estrelas, lança o mais pessoal de todos os seus romances: Tartarugas até lá embaixo.
A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo (TOC).Repleto de referências da vida do autor – entre elas, a tão marcada paixão pela cultura pop e o TOC, transtorno mental que o afeta desde a infância –, Tartarugas até lá embaixo tem tudo o que fez de John Green um dos mais queridos autores contemporâneos. Um livro incrível, recheado de frases sublinháveis, que fala de amizades duradouras e reencontros inesperados, fan-fics de Star Wars e – por que não? – peculiares répteis neozelandeses."
Agora, vamos lá!

1- Narrativa

O livro é narrado em primeira pessoa pela protagonista, Aza Holmes, e mais uma vez o John Green mostra sua habilidade em escrever do ponto de vista feminino de forma impecável. A narrativa é bem leve e fluida e o enredo é bem simples, mas toda a beleza da história está nas entrelinhas. A leitura consegue nos transportar para dentro da mente da protagonista e entender um pouco sobre como uma pessoa com TOC (Transtorno Obsessivo-Compulsivo) enxerga o mundo.

"Acho que talvez, no fundo, eu seja só um instrumento, uma coisa que existe apenas para transformar oxigênio em dióxido de carbono, um mero organismo nessa... nessa imensidão toda. E é um pouco aterrorizante pensar que o que eu considero como o meu... abre aspas, meu 'eu'... fecha aspas... não está nem um pouco sob o meu controle. Tipo, como você já deve ter percebido, minhas mãos estão suando apesar do frio, e eu odeio suar, porque quando começo não consigo fazer parar, e aí não consigo pensar em mais nada a não ser no suor. E se a gente não pode escolher o que faz nem o que pensa, então talvez a gente não seja real, sabe? Talvez eu seja uma mentira que estou sussurrando para mim mesma e nada mais."

2- A forma como o transtorno mental é abordado

Em Tartarugas até lá Embaixo o transtorno mental é abordado de forma muito realista, sem utopias. Para quem não sabe, o John Green também é portador de TOC, então isso contribuiu muito para que a narrativa aborde apenas a realidade e o dia-a-dia de uma garota (a protagonista tem 16 anos) tentando levar uma vida normal apesar do TOC.
Quando eu li a sinopse, eu imaginei que a história fosse 'romantizar' um pouco o TOC, já que há uma investigação e a mídia gosta muito de colocar personagens com esse transtornos como superdetetives ou pessoas que conseguem enxergar muito mais, mas fiquei bem feliz ao ler e notar que não tem nada disso. O transtorno mental não é romantizado e o livro também não tem dramas desnecessários.


"Até certo ponto, não conseguimos entender o que não podemos nomear. Por isso presumimos que as coisas sem nome não são reais. Usamos termos genéricos, como 'maluco' ou 'dor crônica', termos que ao mesmo tempo marginalizam e minimizam. 'Dor crônica não exprime a dor inescapável, persistente, constante, opressiva. E o termo 'maluco' chega até nós sem nem um pingo do terror e da preocupação que dominam você. E nenhum dos dois transmite a coragem das pessoas que enfrentam esse tipo de dor."

3- Referências

Eu não sou fã de Star Wars (não me xinguem, é por falta de conhecimento mesmo), mas quem é, com certeza vai gostar ainda mais da história de Tartarugas até lá Embaixo. A melhor amiga da Aza, Daisy, escreve uma fanfic de Star Wars, então tem muitas referências e isso acaba se tornando uma parte importante da história. Mas quem, assim como, não é fã ou não conhece nada da saga, também não precisa se preocupar, porque isso não atrapalha em nada a leitura. Tem algumas referências a herois também, principalmente ao Ironman ❤

4- Os personagens

Os personagens são muito bem construídos, todos com suas qualidades e seus defeitos. E, apesar do foco ser o transtorno mental da Aza, todos tem seus dramas e problemas e isso também é abordado na história. O livro também fala sobre relacionamentos, eu me emocionei muito com o Davis e o Noah (filhos do milionário desaparecido) e também com a amizade da Daisy com a Aza, embora eu não tenha gostado muito da Daisy no início, mas achei que ela evoluiu muito, aliás, todos os personagens evoluíram ao longo da história e eu amo quando isso acontece.

"Toda perda é única. Não dá para saber como é a dor de outra pessoa, da mesma forma que tocar o corpo de alguém não é o mesmo que viver naquele corpo."

5- O final do livro

Eu sou daquelas pessoas que julgam um pouco o livro pelo seu final, gosto muito de finais que me deixam feliz ou me fazem refletir. O final de Tartarugas até lá Embaixo está na segunda opção, me fez refletir muito, na verdade o livro todo me fez refletir, eu fiquei dias pensando sobre ele.
Esse final, partiu meu coração, mas também me deu esperança, me fez querer abraçar os personagens e o autor, me fez querer transformar o mundo em um lugar melhor.


Enfim, eu espero que vocês tenham gostado desse post e, se ainda não leram, pelamordeDeus leiam Tartarugas até lá Embaixo.

Onde comprar o livro: Amazon | Submarino 

Beijos e até a próxima!

Acompanhe também nas Redes Sociais:

Postado por Ellem Barboza

Pernambucana, cristã, leitora compulsiva, viciada em música e colecionadora de primaveras e sonhos.



1 comentários

  1. Ameeeei, Ellem! Eu já estava pronta para comentar "não sei se eu vou ler outro livro do Green, porque não quero me decepcionar", mas depois de ler o post todo, estou é querendo ler esse livro. A sinopse não fala muita coisa, então fiquei mais curiosa também hahaha Obrigada pelo post <3
    beeeijos

    https://asemfim.blogspot.com.br

    ResponderExcluir