04/11/2015

O dia em que aprendi a voar

Esta noite, sonhei que voava.

De repente, meu corpo se tornava mais leve que o ar e eu flutuava em direção ao céu azul. O vento agitava os meus cabelos em todas as direções, me dando uma sensação boa de liberdade. Fechei os olhos e inspirei fundo, querendo memorizar tudo aquilo.

Senti meus pés tocarem o chão e abri os olhos novamente, então avistei alguém na minha frente, sua presença enchia todo o ambiente e seu rosto brilhava mais que a luz do sol. O reconheci imediatamente, embora mal pudesse acreditar que era mesmo Ele.

- Deus? - sussurrei, num misto de felicidade e admiração.

Ele sorriu e eu corri para os seus braços. Lágrimas de emoção rolavam pelo meu rosto sem parar. Seu abraço era suave e protetor, eu sabia que estava no melhor lugar do mundo.

Depois de abraçá-lo por um longo tempo, começamos a conversar. Contei-lhe a minha história, e Ele me ouviu com atenção, embora já conhecesse cada detalhe.

- Ah, Senhor, eu não quero sair de perto de Você nunca mais - Eu disse, maravilhada.

- Querida, eu vou estar sempre com você, já lhe prometi isso muitas vezes e eu sempre cumpro minhas promessas, mas você vai precisar voltar para a Terra.

- Não - Eu disse agarrando-me a Ele - eu não quero mais voltar pra lá, quero ficar aqui com Você para sempre.

- Eu sei - ele disse gentilmente, afagando meus cabelos - mas ainda não é o tempo de você ficar aqui para sempre. Na verdade, eu trouxe você aqui para lhe mostrar uma coisa. Olhe para baixo.

Olhei e vi a Terra e seus habitantes.

- É a Terra - eu disse.

- Olhe novamente, prestando mais atenção.

Voltei meus olhos para baixo outra vez, tentando focar os detalhes. Foi então que eu vi. Haviam grandes grades de ferro por toda a parte, de forma que cada pessoa ficava dentro de uma pequena cela. As celas não tinham porta, mas eram completamente abertas na parte de cima, porém as grades eram tão altas, que seria impossível escapar delas.

- Eles estão... presos! - exclamei, perplexa.

Vi quando o Senhor Deus assentiu, ele parecia triste por isso.

- O que houve? Porque eles estão assim? Quem os está prendendo? - Perguntei

- A maioria deles são prisioneiros de si mesmos, das suas rotinas corridas, das suas ambições, dos seus desejos, dos seus pecados. Eles nem imaginam, mas é isso que lhes rouba a liberdade.

Olhei pra a Terra novamente e um sentimento de tristeza invadiu o meu coração.

- Mas, Senhor, eu vivia na Terra até pouco tempo atrás, como nunca notei isso?

- Na verdade, filha, você sempre prestou muito mais atenção em si mesma. nunca parou para observar os outros. - Não havia julgamento em sua voz, mas ainda assim me senti envergonhada, aquilo era a mais pura verdade. Eu estava muito feliz com o meu relacionamento com Deus, mas nunca tinha parado para pensar em como viviam as outras pessoas.

- Eles parecem muito infelizes, eu queria poder ajudá-los de alguma forma. - eu disse, sinceramente.

- Você pode.

Olhei para Ele, surpresa

- Posso?

- Sim, você pode ensiná-los a voar.

- Eu?... E como eu vou fazer isso?

Ele sorriu e um anjo apareceu ao seu lado trazendo uma Bíblia. A capa rosa e as folhas desgastadas pelo tempo me eram muito familiar. Era a minha Bíblia.

Observei quando o Senhor Deus abriu e leu um trecho que eu já havia lido tantas vezes, mas nunca tinha atentado realmente para ele.

- E conhecerão a Verdade, e a Verdade os libertará. - Ele colocou a Bíblia ao lado e continuou - Você precisa ensinar a Verdade para eles, precisa contá-los sobre mim, sobre o quanto eu os amo, isso lhes dará esperança e é essa esperança que os fará voar além dos seus limites, além das suas grades.

Meus olhos se encheram de lágrimas, será que eu era mesmo capaz de fazer aquilo? Vencer o meu egoísmo e a minha timidez e falar de Deus para essas pessoas?

- Eu estarei com você, lhe ajudarei em tudo - Ele disse, como se lesse os meus pensamentos - eu serei a sua força, a sua coragem, eu serei tudo o que você precisar. - sua voz tornou-se ainda mais suave - Minha filha, eu quero muito que você faça isso, por eles, não por mim, mas a escolha é sua, é você quem tem que decidir.

Fechei os olhos por um instante, o coração martelando dentro do peito. Quando os abri novamente, estava no meu quarto, na minha cama. Virei para o lado e a minha Bíblia estava aberta. Nem me surpreendi ao notar que estava aberta justamente no capítulo 8 do livro de João.

Li em voz alta as palavras que ainda fervilhavam em meu coração:

- E conhecerão a Verdade, e a Verdade os libertará.

Não tinha sido apenas um sonho, aquela era a vontade de Deus para mim, constatei.

- Sim, Senhor, eu irei anunciar a Verdade. - disse com um sorriso no rosto.

Quase pude vê-Lo sorrindo de volta pra mim.


Esse texto é referente ao Projeto 642 coisas sobre as quais escrever.
Tema 77: Com o que você sonhou na noite passada?


Beijos e até a próxima!

PS: Vem responder a nossa Pesquisa de Público, é um minutinho só :D

Nos acompanhe também nas Redes Sociais:
 Instagram - Twitter - Skoob - Facebook - Pinterest 

Postado por Ellem Barboza

Pernambucana, cristã, leitora compulsiva, viciada em música e colecionadora de primaveras e sonhos.



2 comentários

  1. Oi...
    Eu amo os seus textos !
    Sempre muito emocionante :)
    Bjo

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Ellem, não tenho nem palavras para elogiar o seu texto, apenas quero imprimi-lo e prender na parede do meu quarto, pra nunca mais esquecer *-* Deixa Deus continuar te usando, menina!
    Beijos,

    www.princesasadoradoras.com.br

    ResponderExcluir