23/06/2015

{Resenha} Petrus Logus


Petrus Logus é um livro de Augusto Cury, publicado pela editora Saraiva. Eu o recebi 
como uma cortesia do Skoob.

A história desse livro se passa em Cosmus, um reino futurístico, depois da terceira guerra mundial, onde acontece uma grande catástrofe e a humanidade quase foi totalmente destruída.

Cosmus é governado pelo grande Apolo, um rei que governa sem piedade nem compaixão, cercado de conselheiros corruptos.

Apolo tem dois filhos gêmeos, Petrus e Lexus. Os gêmeos são iguais apenas na aparência, pois as ideias e personalidades dos dois são completamente diferentes. Lexus tem sede pelo poder e é treinado pelos conselheiros do rei, enquanto Petrus é educado por um grande mestre, Malthus, que burla as leis do reino para ensinar o garoto a pensar por si mesmo e ser justo. 

Os livros são proibidos em Cosmus, mas, muitas vezes, Malthus contrabandeia alguns para Petrus ler.
Petrus acaba se tornando um jovem cheio de ideias revolucionárias, o que deixa o rei e os seus conselheiros de cabelo em pé.
Como o príncipe não conseguia se encaixar no meio dos nobres, resolve se disfarçar e passar um tempo com os plebeus e lá conhece Nátila e logo se apaixonam um pelo outro, mas não demora muito até que Lexus encontre o irmão e o leve embora de lá.

Ao chegar no palácio, o rei interroga Petrus e, como o garoto ainda não conseguia controlar bem os seus impulsos, acaba por confrontar o pai e, para mostrar 'justiça' diante do povo, Apolo condena o filho a uma pena horrível, que irá marcar sua vida para sempre.


Petus Logus é basicamente uma misura de fantasia, distopia, aventura e auto-ajuda. Eu gostei bastante dessa leitura, tem uma crítica forte à nossa sociedade e uma lição importante sobre auto-controle e equilíbrio interior.

Os personagens são bem construídos, cada um nos ensina algo diferente. Petrus é cheio de ideias, muito questionador e instigante, porém muito impulsivo. Laurus é o melhor amigo do príncipe, adora fazer palhaçadas, é o que dá diversão ao livro. Nátila, assim como Petrus, é muito instigante e cheia de ideias. 

O que eu não gostei muito no livro foi o fato de a linguagem ser muito formal e o autor utilizar muitas 'frases prontas' de auto-ajuda. As frases são utilizadas nos momentos certos, porém, como eu não curto muito livros de auto-ajuda, isso tornou a leitura um pouco chata, principalmente no começo.

Mas apesar disso, o enredo é muito bom e a história bem criativa e cheia de mistério. 
Eu recomendo essa leitura principalmente pra quem gosta de auto-ajuda, mas quem curte mistério e aventura também vai gostar. 


Vocês já leram esse livro? O que acharam?

PS: Dei uma sumida esses dias porque está meio difícil de conciliar o estágio com o Blog, mas vou tentar atualizá-lo mais.

Beijos e até a próxima!
Acompanhe também nas Redes Sociais:
 Instagram - Twitter - Skoob - Facebook - Pinterest 


Postado por Ellem Barboza

Pernambucana, cristã, leitora compulsiva, viciada em música e colecionadora de primaveras e sonhos.



6 comentários

  1. Já li muitos livros de Augusto Cury , porém esse ainda nem tinha ouvido falar ...
    Com certeza vou ler ;)

    http://coisasdediane.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahaha se gostas da escrita do Augusto, vais gostar muito desse livro :D
      Beijos

      Excluir
  2. Eu nunca tinha ouvido falar neste livro, só que uma coisa me incomodou: O tom de autoajuda do livro. A gente sabe que o Cury é tipo o "pai" dos livros de autoajuda no Brasil, mas ele podia ter deixado esse lado pra lá, antes de fazer um livro de ficção. Poxa, uma pena :( mas mesmo assim, vou procurar pra comprar!

    Amei teu blog, flor! Deus te abençoe :)

    www.polenporpolen.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, isso ainda está bem presente, mas acho que ele está melhorando hahah' quem sabe no próximo ele consiga se livrar mais desse tom?!
      Beijos

      Excluir
  3. Essa é a primeira resenha que leio desse livro. Lembro quando ele foi no programa da Fátima Bernardes falar desse lançamento. Já li alguns livros dele e fiquei curiosa para saber como ele se sairia escrevendo algo fora do seu estilo, mas segundo suas palavras percebi que ele não fez isso e inseriu a auto-ajuda nesse livro também. Mas de uma forma geral deve ter ficado interessante. Enfim adorei saber um pouco mais de O Guardião do tempo.

    P.s. Senti sua falta mas imaginei que fosse alto maior que a estivesse impedindo de blogar. Relaxa a vida é assim mesmo cheia de correria, o importante é vc não abandonar as leitura e os amigos virtuais. Beijos

    Leituras, vida e paixões!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, fiquei bem curiosa pra ver como ele se saía escrevendo romance de fantasia. Achei o livro bem legal, mas essa ponta de auto-ajuda me incomodou bastante :/
      Mas acredito que ele esteja melhorando um pouco a cada livro!

      Ah menina, tenho sentido muita falta de blogar esses dias, mas tá corrido demais, tô tentando organizar alguns posts esse fim de semana pra deixar programado, espero conseguir.
      Beijos

      Excluir