23/05/2014

Transtorno Bipolar: Você realmente sabe que é isso?

Gente, hoje eu vim falar sobre uma coisa super importante, que ultimamente tem sido bastante banalizada pela nossa sociedade, sobretudo os jovens e adolescentes: O transtorno Bipolar.

É bem frequente ouvirmos expressões como "Fulano é bipolar" ou "Eu sou bipolar", quando alguém tem alterações normais do humor. Isso acaba dificultando bastante o diagnóstico da doença e a adesão ao tratamento.

Por isso, eu vim aqui hoje falar um pouquinho sobre o que é essa doença.



O Transtorno Bipolar é caracterizado por alternância entre fases de depressão e fases de euforia (ou mania). A doença atinge cerca de 2,2% da população brasileira. Os episódios de depressão e mania podem durar dias e até semanas, totalmente diferente das nossas mudanças de humor do dia-a-dia.

Essa figura, do site da Associação Brasileira de Psiquiatria explica bem direitinho os sintomas:


O transtorno bipolar TEM TRATAMENTO e o quanto antes for tratada, melhor será para o portador da doença. E é super importante o apoio da família e dos amigos durante o tratamento.
Então caso, você tenha ou conheça alguém que tenha esses sintomas, procure o Psiquiatra, que não é médico de doido, como muitos costumam chamar, mas é um médico que estuda a mente humana e é preparado para ajudar as pessoas que precisam a terem uma qualidade de vida melhor.

Veja esse vídeo, que resume, em palavras simples, o que é o transtorno bipolar:



-Se quiser saber mais sobre essa doença, visite o site da ABRATA (Associação Brasileira de Familiares, Amigos e Portadores de Transtornos Afetivos).

“Senti-me sozinha durante bastante tempo. Ninguém compreendia o que estava passando, porque eu própria também não compreendia. Não sabia se o problema era comigo ou com o mundo exterior. Havia momentos em que eu me sentia ótima, por isso a minha família e os meus amigos não conseguiam compreender quando de repente não era capaz de sair da cama. Pensavam que eu era preguiçosa ou arrogante ou passava por uma fase qualquer. Portanto, acabava por me sentir culpada e inútil, além de deprimida. Mais tarde, quando fui diagnosticada e comecei o tratamento, percebi que não tinha de me sentir mal comigo mesma. Agora tenho mais controle sobre a minha vida e estou a recuperar os laços defeitos com a minha família. Há amigos que nunca mais recuperarei. Mas não faz mal, estou sempre a fazer outros novos.”
-Depoimento de uma paciente com Transtorno Afetivo Bipolar

É isso, gente! Beijos e até a próxima.
Sigam: Instagram - Twitter - Bloglovin - Skoob 

Postado por Ellem Barboza

Pernambucana, cristã, leitora compulsiva, viciada em música e colecionadora de primaveras e sonhos.



0 comentários